Visto hoje às!

Já tem um tempo que estava querendo escrever algo sobre como tenho observado os tempos modernos em comparação a uma das melhores épocas que vivi, que foi a década de 80. Não posso negar que ainda há dentro de mim uma vontade que seria de estudar Antropologia, alguma especialização, na verdade complementar minha formação. Seria bem válido a análise do homem frente a algumas situações e comportamentos de marketing.

Como eu gosto! Algo que está no meu sangue, simplesmente observar o “homem”, a espécie! Nada como viajar para fora e observar cada comportamento, seja de espanhóis, franceses, portugueses ou seja lá de onde for, sempre teremos um comportamento único. E o brasileiro? Cada região, uma maneira e até mais profundo, cada bairro, algo que caracteriza o mesmo. As vezes conseguimos distinguir a pessoa pelo bairro onde mora.

Claro que nos anos 80 não tinha a mínima preocupação, o mais difícil eram os deveres de casa do colégio Loyola, onde estudava na época e fora isso, uhmmmm, não sei dizer rs. Na área musical, a melhor no meu ponto de vista, The Cure, Titãs, The Police, Michael Jackson, dentre outros, a qualidade musical era bem superior. E os relacionamentos? Nem se fala, sem smartphones, tablets, Zap Zap’s, como a gente era feliz!

Hoje somos escravos do “Visto hoje às!”, satisfações a todo tempo, respostas para pessoas que não aceitam para amanhã, presos a soluções Fast Food! Entramos nos aplicativos já com medo se as pessoas irão ver que estamos online e já em busca de respostas, feedbacks, todos querem para ontem aquela resposta solicitada ha 5 minutos atrás. E ai de você se visualizar e não responder. Como eramos felizes!

“Visualizado em”, “visto hoje às”, “mensagem entregue”, “lido”…..como um status deixa a gente tão ansioso, tão apreensivo, nos tornamos escravos de algo que nos mesmos pedimos. Estamos sem limite, nos vemos presos a uma digitação desenfreada, dedos frenéticos nos devices.

Onde vamos parar? Será que também estamos pedindo por essa resposta? Que medo!

Estamos vivendo uma crise mundial, tudo caro! Ônibus, alimentação, vestuário, gasolina e somado à ansiedade que a tecnologia traz, as pessoas têm perdido a paz. Queria deixar um conselho, mantenha a fé, busque em Deus a certeza que sempre haverá uma porta aberta, que novos contratos serão firmados, que seu cliente terá um resultado tão expressivo, que ele vai continuar investindo nos seus serviços e que uma vida de vencedor é marcada de lutas e desafios, essa é a trilha a ser traçada. É exatamente em meio a crise que a criatividade se sobressai. Me lembro que a crise da Argentina em 2009 levou o país a ter grandes cases de publicidade e alguns deles, premiados! Aproveite a crise para se diferenciar e ser alguém que não se entregou, mas que procurou pela inovação.